Maldade

Faça disto tudo um sequestro,
Prenda-me, aprisione, amarre- me.
Que mesmo sem as mãos, ainda poderei falar.

Arranca-me os dentes, a língua, me cala.
Faça da tortura sua arma, sua sala.
Costura-me a boca, marca-me sem palavras,
Que mesmo sem falar, ainda trarei o pensamento.

Mata-me os desejos, transforma meus dias em noites,
Corrompa o lado bom, me faz gemer de ódio.
Arranca-me o cérebro e queime o resto nas fogueiras,
Que mesmo sem vida, essa paixão baterá no meu peito.

E mesmo que me arranque o coração,
Que o queime, que o mate.
Mesmo sem vida, sem volta,
Viverei em espírito, com a mesma intensidade.

E minha alma será livre,
E da vida não mais farei parte.
E ainda levarei a fé na memória,
Nem que seja só por maldade.

Anúncios

Um comentário sobre “Maldade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s